Blogue de opinião e divulgação.
Quarta-feira, 25 de Março de 2009
António Capela

 

 

 

Domingos Capela foi o pioneiro. Filho e neto seguiram-lhe os passos

O acaso, seja lá isso o que for, tem sempre influência nas grandes histórias. Esta passou-se, e ainda se passa, em Espinho, mais propriamente na freguesia de Anta. Em 1924, contava então 20 anos, Domingos Capela viu cair-lhe nas mãos um violino a precisar de arranjo, propriedade de um músico brasileiro de origem italiana, Nicolino Milano, que vivia temporariamente por cima da oficina onde o jovem marceneiro trabalhava. A missão foi de tal forma cumprida que marcou o início de uma dinastia, não de reparadores mas de construtores de violinos. Hoje, os Capela são conhecidos em todo o mundo. Mas continuam em Espinho, na freguesia de Anta.

Foi lá que o DN se encontrou com António Capela, 75 anos, e Joaquim António, 40, respectivamente filho e neto de Domingos, falecido em 76 - todos eles multipremiados em concursos internacionais do métier. "O meu pai fez o primeiro violino em 1924, o primeiro violoncelo em 25 e o primeiro contrabaixo em 27", conta António. "Com as tunas que aqui havia e, depois, as orquestras de câmara que vinham ao Casino de Espinho, espanholas, francesas, italianas, o trabalho dele expandiu--se internacionalmente, mais ainda a partir do momento em que apareceram o Conservatório e a primeira Orquestra Sinfónica do Porto. Daí para a frente foi sempre a trabalhar para grandes artistas portugueses e estrangeiros", prossegue.
Propostas para rumar a Lisboa não lhe faltaram, mas Domingos resistiu. Mais tarde, diria ao filho: "Eu não fui para a cidade, mas a cidade veio ter comigo." A cidade e o mundo, ou a marca Capela não andasse hoje por todos os pontos do globo, "da América a Inglaterra, da Austrália ao Japão". Falaram mais alto as raízes. "Ele nunca foi ao estrangeiro, a não ser quando eu me encontrava em Itália", lembra António, que nos anos 60 estagiou lá fora, como bolseiro da Gulbenkian, primeiro em Paris, na casa Vatelot, depois em Cremona, na escola onde se faziam os Stradivarius.
Esse período, diz, foi importantíssimo. "Parecia-me outro mundo. Recordo-me de, na Rue de Rome, ter ficado abismado por ver construtores porta sim, porta não." O certo é que, mesmo persuadido a isso, não quis ficar. "Como foi o meu pai quem me convenceu a sair do País, fiz uma promessa de não o abandonar enquanto fosse vivo. E até para grandes casas de Nova Iorque e Filadélfia fui convidado", revela.
O filho, esse, estagiou três vezes nos EUA. "Teve mestres que lhe disseram: 'A maior asneira que o seu pai fez foi não ter vindo para a América.' Mas se eu tivesse ido ele não tinha nascido", contrapõe, seguro de que, um dia, quando deixar de trabalhar, "o ofício fica bem entregue".
Uma coisa, porém, é certa: as mãos de Domingos, António e Joaquim António são diferentes. "Eu não consigo imitar o meu pai. Aliás, nem a mim próprio, de trabalho para trabalho", diz António Capela. A razão é óbvia: "A mão não é uma máquina que produz milhares de peças iguais - e aqui não há máquinas, só goivas, plainas e a habilidade do artista. E lixa quanto baste. Já dizia o meu pai: nós lixamos o instrumento e depois lixamos o cliente."
Considerados os Stradivarius portugueses ("com algum fundo de verdade"), os Capela constroem vários instrumentos de cordas, não só o violino. Quanto aos preços que praticam, o segredo é a alma do negócio. "Se eu dissesse, pensavam que ganhava muito dinheiro. Primeiro, as madeiras de qualidade são caríssimas. Depois, não se encontram madeiras velhas em nenhuma parte do mundo, e nós não fazemos um violino, uma viola de arco ou um violoncelo com menos de 15 anos, porque a madeira quanto mais seca estiver mais ressonância tem", explica.
Com um construtor já não se passa o mesmo. "A partir de certo ponto, há uma decadência, mas eu ainda não cheguei lá. Espero trabalhar mais uns anos", confessa. E, pela vitalidade que transmite, não custa a crer que o faça. Talvez possa, até, repetir com o filho a alegria que sentiu com o pai, em 1972, quando açambarcaram os quatro primeiros prémios de um concurso de construtores de violinos na Polónia. "Foi inédito na história daquele concurso. Com a emoção, as lágrimas caíram-me pela face abaixo", conta.
 
Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Sociologia, no capítulo da 'Cultura'.
 


publicado por codigo430 às 15:44
link do post | comentar | favorito
|

Euro vs US Dollar
[Most Recent Exchange Rate from www.kitco.com]
Siouxsie And The Banshees - Dear Prudence
Coldplay - Paradise (Official)
Peter Gabriel - Games Without Frontiers
Je suis un homme - zazie
Vídeos
posts recentes

Fontes do Crescimento Eco...

El duro discurso de Marth...

¿Por qué el 'padre del iP...

A história de um Chef que...

Trabalho de pesquisa

Estatísticas do Turismo

Estrelas

Organizações Mundiais

Pent

Prova de Economia

links
tags

vídeos

opinião

cidadania

crise

democracia

economia

avaliação

globalização

humor

informação

outros temas

professores

actividades

música

enriquecimento

ambiente

sociologia

recursos

tve2

eua

informação vídeos

rtp

gripe

militarismo

videos

estudos

ensino

alunos

sic

estatísticas

escola

europeias

visitas de estudo

agricultura

poesia

fenprof

tvi

china

video

fome

divulgação

saramago

cef

iraque

profissional

vídeos tve2

galeano

leap

manifestações

pobreza informação

teoria

tve1

espinho

petróleo

técnico de secretariado

turismo

dia mundial

guerra

honduras

rosa

brasil

coltan

cultura

democracy

emigração

informação tve2

jn

laranjeira

outros temas vídeos

porto

sindicatos

colóquios

desigualdade

direito

economia tve2

estado

expresso

frases

galbraith

galeano tve2

gripe vídeos

obama

ocde

palestina

pedagogia

pobreza

privado

público

redes sociais

rt

técnico de comércio visitas de estudo

afeganistão

água informação vídeos

bbc

cgtp

chossudovsky

educação

fne

irão

manuel freire

todas as tags

Dívida Pública Mundial e por país

Tocar na imagem!
Outubro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


pesquisar
 
subscrever feeds
arquivos

Outubro 2016

Dezembro 2015

Setembro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Janeiro 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Julho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Maio 2006