Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lux Ad Lucem

Blogue de opinião e divulgação.

Lux Ad Lucem

Blogue de opinião e divulgação.

15.Mar.07

Anorexia, a doença mental mais mortífera

Jennifer Lopez
Jennifer Lopez

Julgo que muito se fala em anorexia, mas poucos conselhos práticos são dados aos pais e aos que sofrem desta doença mental cuja cura pode ser tão difícil. Por vezes, refere-se a doença apenas a pretexto de se publicarem imagens chocantes de adolescentes sub-nutridas que mais não passam do que verdadeiros cadáveres em vida, por fora e sobretudo por dentro.

Por outro lado, aponta-se ao culto do corpo perfeito (leia-se, magríssimo) a origem desta nova doença que nos choca por ser injusta de um modo tão flagrante: é precisamente no auge da sua beleza que as adolescentes decidem que são feias e tomam a decisão de castigarem, auto-mutilando-se. Não querendo promover esse culto, decidi trazer a imagem acima, prova de que um corpo belo não tem de ser e não deve ser magro.

A informação útil que tento aqui deixar vai, desta vez, no sentido de reconhecer a doença, passo primeiro para o processo de cura.

Sofres de anorexia nervosa ou bulimia nervosa?

1. Obrigas-te a vomitar porque te sentes cheia demais?
2. Receias ter perdido o controle sobre a quantidade de comida que comes?
3. Perdeste recentemente 6.4 kg ou mais num período de 3 meses?
4. Achas que és demasiado gorda(o), mesmo que os outros te digam que és magra(o) demais?
5. Dirias que a comida domina a tua vida?
Cada resposta positiva vale um ponto.
Duas ou mais positivas indica que podes sofrer ou de anorexia ou de bulimia.
(teste desenvolvido por: St George's Hospital Medical School, University of London)

outro teste:

Estás em risco de sofrer uma desordem alimentar?
1. Embora me digam que estou magra(o), sinto-me gorda(o)
2. Fico ansiosa(o) se não posso fazer exercício físico.
3. Preocupo-me com o que como.
4. Se ganho peso, sinto-me ansiosa(o) e deprimida(o).
5. Sinto-me culpada(o) quando como.
6. Antes queria morrer do que ser gorda(o).
7. Prefiro comer sozinha(o) do que com a família ou com amigos.
8. Não falo sobre o meu medo de ficar gorda - ninguém compreende.
9. Tenho comida escondida.
10. Quando como, tenho medo de não conseguir parar.
11. Minto sobre o que como.
12. Fico nervosa(o) quando as pessoas me dizem para comer.
13. Às vezes penso que o meu modo de comer ou de fazer exercício físico não é normal.
Número de respostas positivas:
1 a 3 - Preocupas-te com o peso e com a aparência. Pensa de novo. Não percas o controle.
4 a 6 - Razão para preocupação. Consulta um profissional da saúde.
mais de 7 - Podes estar em grave perigo. Deves ser avaliada(o) por um profissional da saúde o mais rápido possível.

Seja qual for o resultado do teste acima, deverás consultar um profissional da saúde se qualquer uma das afirmações seguintes for verdadeira:
- vomitas mais do que 3 vezes por dia
- amenorreia (menstruação ausente ou muito irregular)
- abuso de laxantes ou de outros medicamentos que provoquem o vómito
- perda de 15% do teu peso

(Teste acima do Dartmouth College. Do mesmo site, outro teste mais extenso, em inglês, aqui)

Os médicos, para chegar ao diagnóstico de anorexia, seguem em geral os seguintes critérios:
- o teu peso é 15% abaixo do peso normal para a tua idade e a tua altura
- tens pavor de ficar gorda(o) ou de ganhar peso, embora sejas demasiado magra(o)
- tens uma imagem distorcida do teu corpo e negas ter peso a menos
- já falhaste 3 períodos de seguida

---
Todos estes testes servem um propósito: fazer reconhecer aos doentes que o estão, fazer reconhecer aos familiares e amigos desses doentes que eles estão de facto doentes.

 
 
Temos ouvido falar de anorexia quase diariamente na TV. Ora morreu mais uma modelo/miúda no Brasil, ora a Espanha está nas notícias por ser o único país (!) do mundo a lutar contra esta doença. Não deixaria de ser agora uma boa ocasião para tomarmos o exemplo e fazermos algo definitivamente inovador.

A minha filha conta-me de algumas colegas que tiveram ou têm ainda este problema. Em todas as escolas encontramos estas miúdas tristes e sozinhas que gritam em silêncio por um carinho. Embora se fale de algumas predisposições genéticas, não há qualquer sombra de dúvida de que esta doença do tipo depressivo tem origem no ambiente onde vive a doente. Os pais são cinquenta por cento deste puzzle embora existam outros factores. A razão deste meu post, que eventualmente terá continuação, é expor os sintomas reveladores, no início, que quase sempre passam ao lado de pais que não olham vezes suficientes para os seus filhos até ser tarde demais:

- Desejo de perfeição exagerado
- Desejo de perfeição académica
- Falta de actividade sexual própria da idade
- Negar que se tem fome
- Dependência excessiva
- Imaturidade
- Isolamento social
- Comportamento obsessivo-compulsivo
- Dificuldade em sentir ou expressar afecto
- Depressão
- Desejo de controlo
- Baixo amor-próprio
- Ansiedade

Esta é uma lista de sinais, ainda não são anorexia, mas sim indicações de que a anorexia pode vir a acontecer. São uma chamada de atenção. Se a vigilância de pais, familiares e amigos não for intensa, estes sinais podem tornar vir a transformar-se nessa doença mortal, cujo tratamento dura obrigatoriamente alguns anos.

Com a devida vénia 'mdel'

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.