Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Lux Ad Lucem

Blogue de opinião e divulgação.

Lux Ad Lucem

Blogue de opinião e divulgação.

29.Set.14

Milhões ou biliões? Uff, que confusão!

 

 
Como escrever: biliões ou milhares de milhões?

A escrita dos grandes números obedece às regras aprovadas na 9ª Conferência Geral dos Pesos e Medidas (CGPM), em 1948. Estas regras foram adoptadas oficialmente em Portugal, pelas Portarias nºs 14 608 e 17 052, respectivamente de 11 de Novembro de 1953 e 4 de Março de 1959.

Assim, definiu-se que os milhões, biliões, etc. são formados de acordo com a regra “N”1:

Deste modo, tem-se

1Nos EUA segue-se a regra “n-1”, originando sempre confusão na comunicação social, falado ou escrita, quando se refere “biliões” que na Europa são “milhares de milhões”
 
Mil milhões ou biliões? Veja a diferença...
A confusão é habitual e voltou esta semana à baila com a apresentação do plano de Obama: afinal, um "billion" americano é o mesmo que um "bilhão" no Brasil e que... "mil milhões" em Portugal. Veja aqui a escala.
Quando o Negócios publicou esta semana a notícia "Fundos para activos tóxicos podem chegar a dois biliões de dólares nos EUA", recebi e-mails de leitores duvidando ou mesmo desmentindo. Afinal, diziam, eram triliões, não biliões! Bastava ler nos jornais americanos que o plano envolvia "up to two trillion"...

Caros leitores, não há erro: tanto as notícias americanas (trillion) como a do Negócio(bilião) estão correctas. É que há duas escalas para números grandes, a chamada escala longa utilizada na maioria dos países europeus; e a curta,usada em países de língua inglesa, incluindo os Estados Unidos, mas também o Brasil.

Segundo o sítio Ciberdúvidas, "a regra de que um bilião é um milhão de milhões para Portugal foi estabelecida pela norma portuguesa NP-18, 1960. É também esta a prática em Espanha, Itália, França, Inglaterra, Alemanha, etc." O mesmo sítio esclarece que "só até ao milhão é que a terminologia é a mesma na Europa e nos EUA".Depois, muda, conforme a tabela de cima.

O problema coloca-se sobretudo no mundo financeiro, em que a linguagem (e também a métrica) anglosaxónica é muito usada.

Já agora, há outra diferença: no nosso sistema de numeração, separamos os milhares por espaços, quando nos Estados Unidos é por vírgulas. Cá, a vírgula só serve para separar os números inteiros dos números decimais. Exemplo: "a empresa X facturou 1 200 milhões, uma subida de 12,5%".

Números são números, palavras são... palavras.
 
 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.